A ato de contar uma história é uma arte que está presente nos seres humanos desde a idade das pedras, com as pinturas rupestres, que foram se desenvolvendo e viraram cantigas trovadorescas, cantadas por bardos. Que continuaram a evoluir, chegando nos livros super importantes (e alguns deles bem chatos) que precisamos ler para fazer uma prova, por exemplo.

Mas o storytelling não se baseia apenas nesse universo literário, estamos em contato com essa arte a todo instante, contar uma piada, assistir um filme, fazer uma campanha de D&D, tudo isso é storytelling.

Quando se vê um filme, é inegável que acontece uma relação de aproximação com os personagens. Você sofre com as decisões que eles tomam, você se angustia com a ideia de algo dar errado, mas respira aliviado se tudo da certo. Mas, como os games desenvolvem essas emoções?

Ao jogar um jogo, você está no controle, embora talvez não haja um total livre arbítrio, você se sente mais responsável pelos personagens. Ou seja, quando você joga com um personagem, você o interpreta, suas decisões e hesitações mudam conforme quem você controla.

Se você está jogando uma parte de algum jogo sem mais nenhum personagem com você, seu nível de hesitação será maior do que se você estivesse com seu aliado ao lado. Mas se esse outro personagem que está com você é uma criança que você precisa proteger, o resultado é o oposto!

O canal Lessons from the Screenplay fez um vídeo incrível e bem detalhado sobre as diferenças do Storytelling entre os filmes e os jogos, mais especificamente em The Last of Us. Você pode conferir ele aqui embaixo!

Com tudo isso, quero dizer que, o storytelling é um tipo de arte incrível que eu sou completamente fascinado. Uma história tem o poder de mexer totalmente com seus sentimentos, você pode acabar chorando como um bebê ou rangendo os dentes de raiva! Mas uma lição e um adendo muito importante é: Não se limite a emocionar-se com histórias contadas em filmes, livros ou jogos. Crie sua própria história! Junte seus amigos (por algum aplicativo, hein?! Nada de furar a quarentena) e façam algum tipo de Role Playing Game! Você pode se surpreender com os resultados e emoções que uma história criada por vocês tem o poder de causar.

Sexto Kazekage, aspirante a Rei dos Piratas e viciado em criar histórias de RPG.