A relação entre os contos e histórias de J.R.R. Tolkien, autor de O Senhor dos Anéis, O Hobbit, entre outros, sempre foi muito próxima, afinal a Terra Média criada por Tolkien começou a partir da música.

Eru Ilúvatar, o ser supremo do universo Tolkieniano a partir de seus pensamentos criou os Ainur, os Sagrados, os Deuses da Terra Média, que a pedido de Eru, cantaram, para assim, criarem o mundo de Arda, ou, A Terra Média. Além dessa relação intrínseca com a música, para aqueles que já leram algum dos livros de Tolkien, sabem como ele adora colocar músicas em quase todos os capítulos de suas obras.

Mas o que muitos podem não saber, é que, do mesmo jeito que a música criou a Terra Média, a Terra Média também ajudou na criação de muitas músicas, mais precisamente no Rock dos anos 70.

Led Zeppelin, uma das bandas de Rock mais conhecidas de todos os tempos, já fez várias referências as histórias do escritor britânico como, por exemplo, a incrível música The Battle of Evermore. Que tem seu início inspirado na Batalha dos Campos de Pelennor, que acontece no terceiro filme da trilogia.

Queen of Light took her bow
And then she turned to go,
The Prince of Peace embraced the gloom
And walked the night alone.

Podemos notar aqui, uma forte referência a Éowyn, sobrinha do rei Théoden de Rohan. No enredo, ela é responsável por derrotar um dos espectros do anel, O Rei Bruxo de Angmar. Um dos 9 mais fiéis subordinados de Sauron.

Partindo para a segunda parte do trecho da música, vemos uma referência a Aragorn, que se despediu de Éowyn e dos cavaleiros de Rohan para adentrar a Senda dos Mortos.

Mas, não é somente nessa música que encontramos referências desse tipo, na música Ramble On, também do Led Zeppelin, vemos referências diretas a personagens e músicas de Tolkien.

Leaves are falling all around
It’s time I was on my way
Thanks to you I’m much obliged
For such a pleasant stay
But now it’s time for me to go
The autumn moon lights my way
For now I smell the rain
And with it pain
And it’s headed my way

As duas primeiras linhas da música, são uma paráfrase de um poema de Tolkien chamado em Quenya (língua criada pelo próprio autor) de Namárië, ou em português de Lamento de Galadriel. Em Quenya, a frase usada para a música do Led Zeppelin ficaria: Ai! laurië lantar lassi súrinen.

Mas, essa não é a única referência de Tolkien em Ramble On, em um trecho da música, os nomes “Mordor” e “Gollum” são explicitamente citados.

‘T was in the darkest depths of Mordor
I met a girl so fair
But Gollum, and the evil one
Crept up and slipped away with her
Her, her, yeah
Ain’t nothing I can do, no

No enredo de O Senhor dos Anéis, Mordor, é a terra das trevas onde se encontra a Fortaleza de Sauron, o grande vilão da história. Já Gollum, era uma criatura que sucumbiu ao poder do Um Anel.

Além de Led Zeppelin, outras bandas fizeram menções a Tolkien e suas obras, como Black Sabbath, Genesis, Camel, Rush entre outras! O canal Polyphonic fez uma breve análise dessas referências e vale muito a pena conferir! Ainda mais se você, assim como eu é apaixonado por Tolkien!

Além disso, vale aqui uma menção honrosa e, ao mesmo tempo, uma curiosidade sobre os Beatles que em 1968, quase fizeram um filme sobre O Senhor dos Anéis, chegando inclusive em pensar em diretores para as gravações, mas infelizmente (ou felizmente na realidade) o projeto nunca foi para frente!

Hunter Criminal, aspirante a Rei dos Piratas e viciado em criar histórias de RPG.