Trout Mask Replica foi o álbum mais ambicioso do já irreverente Captain Beefheart, ele pediu total liberdade para o estúdio e com certeza isso lhe foi garantido. Desde seu lançamento em 1969, ele se tornou um clássico, discutido até hoje e considerado por muitos como o melhor álbum da história. Na própria lista dos melhores álbuns de todos os tempos, da Rolling Stone, ele aparece na 60ª posição. Além de ter sido uma grande inspiração para vários outros artistas, como: Red Hot Chilli Peppers, David Lynch, Matt Groening, John Lydon, Talking Heads e Blondie.

Com toda essa aclamação, o esperado é que seja pelo menos decente né? Mas não sei se esse é exatamente o caso. Na verdade o álbum é estranho, praticamente inescutável em todas suas 28 músicas, durando cerca de 1h30. A sensação causada por qualquer música que você tente escutar é de que eles nem estavam tentando. Tudo parece fora de ritmo, tom e mix. Combinando tudo isso com o próprio Captain Beefheart gritando, cantando e recitando letras estranhas em cima de um instrumental mais estranho ainda. Mas deve existir um motivo para isso ser um clássico não é mesmo? Não é qualquer álbum que fica na frente de Led Zeppelin 4, Kid A, Purple Rain e Imagine.

A Vox fez um vídeo explicando a história por trás do disco e do porquê muitos consideram genial. Contando como todos se envolveram e o que eles achavam do projeto, desde o produtor Frank Zappa até a banda de Captain Beefheart. Sobre como foram necessários ensaios de 12 horas diárias por meses ou como o capitão nem sabia tocar piano.

Talvez esse seja um daqueles casos onde a história por trás da arte é melhor que o resultado final. Mas caso você queira se aventurar (ou torturar alguém) aqui está o Trout Mask Replica inteiro:

 

Viciado em Games, viciado em futebol, viciado em cinema, viciado em séries e viciado em drogas pesadas: leite, glúten e anime.