Sinapse por Pedro Hutsch Balboni, 03/02/2010 às 16h00

Você, que como eu, está acostumado a usar planilhas de cálculo como o Excel, já se perguntou se existe alguma outra maneira melhor para realizar seus cálculos e correlacionar dados?

As planilhas eletrônicas agilizam muito todas as tarefas que envolvem cálculos e são os aplicativos mais utilizados nos escritórios do mundo inteiro. Entretanto, elas estão longe de poder oferecer soluções envolvendo grandes bancos de dados. (Além de sua maneira tradicional de apresentar os dados em forma de grade – linhas e colunas – poder tornar-se extremamente “chata” de ser utilizada quando existem várias linhas e colunas).

A maneira ideal de trabalhar-se com dados é um Banco de Dados. Com eles pode-se manipular quantidades quase ilimitadas de dados, sendo a solução utilizada por praticamente todas as empresas em forma de aplicativos. O problema é o desenvolvimento desses aplicativos, que exige a participação de profissionais altamente qualificados.

As Planilhas de Cálculo tornaram-se populares exatamente por isso: por serem de fácil utilização e oferecerem soluções com rapidez. Se existisse uma ferramenta com a facilidade de uso das planilhas eletrônicas que utilizasse Bancos de Dados, certamente essas seriam abandonadas pelos seus usuários.

É sobre essas e outras possibilidades que conversei com Paulo Knob, o cabeça da Knob Software e desenvolvedor do PowerPro. O PowerPro é um programa que permite o desenvolvimento de bancos de dados com grande facilidade e maleabilidade. Segundo o Paulo, crianças já foram treinadas para usar o programa, e o resultado foi bastante positivo.

A grande diferença do programa da Knob Software para com outros bancos de dados nasce junto com sua concepção: os bancos de dados geralmente são projetados “de dentro para fora”, ou seja, são projetados especificamente para alguns usos e sua interface é um aspecto secundário, o que o torna mais difícil de ser utilizado, altamente específico para necessidades que podem mudar com o tempo e ainda traz a dependência de um técnico que possa ajustá-lo quando necessário. O PowerPro foi projetado “de fora para dentro”, sua interface é sempre a mesma, o que significa que alguém letrado no programa estará sempre letrado nele, e ela permite a criação de bancos de dados tão complexos quanto qualquer banco de dados mais específico seria capaz de fazer. Ele se assemelha muito ao Acess, mas é mais simples e amplo.

Outra característica interessante do programa é o que foi batizado como DOP: Direct Object-oriented Programming. A tradução disso seria “programação direta orientada a objetos”. Assim, uma empresa com o programa instalado em um servidor central e acessado por diversas máquinas pode operar o banco de dados, modifica-lo e o que for sem que uma operação interfira na outra, pois elas são independentes.

Me parece que realmente há uma lacuna nesta área de manipulação de dados, que fica presa em profissionais extremamente especializados e caros, onde um programa como estes seria capaz de facilitar as operações de muitas pessoas e empresas. Para dúvidas ou maiores interesses, mande um email para o Paulo, que estará mais apto a responder do que eu: pjknob@gmail.com

Twitter @phbalboni @newronioespm