Bacurau estreiou no último dia 29 de Agosto, mas já vem agitando algumas conversas e o próprio cinema nacional desde as suas premiações no Festival de Cannes, que rolou em maio de 2019.

O longa-metragem dirigido por Kleber Mendonça Filho (Aquarius) e Juliano Dornelles (Recife Frio) nasce como um clássico brasileiro por abordar alguns temas fundamentais e centrais do Brasil sob uma perspectiva bem íntima de um povoado do sertão nordestino. Sem grandes spoilers, Bacurau aborda temas extremamente brasileiros como a vaidade política, negligência do Estado com o povo do sertão e, acima de tudo, a resistência da população desamparada contra o governo e sua invasão patrocinada do estrangeiro.

Outro fator importante para a formação de um clássico é a reverência a outros clássicos em forma de homenagens ou uma técnica conhecida como pastiche, que consiste na livre inspiração de obras de outros artistas, sem configurar plágio (o diretor Quentin Tarantino, por exemplo, é um grande adepto dessa técnica, como já falamos aqui no Newronio.).

Sendo assim, Bacurau já se introduz com uma árida corrida inicial ao melhor estilo Mad Max e possui transições “Wide” idênticas às de Star Wars, que por sua vez referenciou os filmes do diretor Akira Kurosawa. Impossível não destacar também – principalmente na fotografia – referências aos filmes de Faroeste, gênero que marcou a história do cinema em meados do século XX e tem sua influência até hoje.

E ué, o filme não fala sobre não se render ao imperialismo estrangeiro? Por que trazer tanto do cinema gringo? Sim, Bacurau é um grito de resistência brazuca, e exatamente por isso ele adapta e se apropria das características do exterior de uma maneira extremamente defensiva sem deixar de prestar suas devidas e carinhosas homenagens. Por exemplo, o terceiro ato do filme por si só é praticamente uma piração ao melhor estilo tarantinesco, mas com aquela pegada nordestina e uma clara referência à forma como os cangaceiros lidavam com seus inimigos. Com muita violência, sangue e peixeirada.

O filme que transita entre gêneros como drama, horror gore, aventura, thriller psicológico, Western Spaghetti e “Nordestern” (ou como mais precisamente definido: “Faroeste Rapadura”) conquistou vários prêmios em festivais de cinema internacionais, sendo os principais destaques Melhor Filme em Munique e Lima, além do consagrado Prêmio do Juri em Cannes. Não restam dúvidas de que Bacurau pode ser considerado um clássico do cinema nacional e um grande registro do Brasil atual.

Baiano, amigão da vizinhança, ecochato, escritor amador e mestre pokémon nas horas vagas.