O que o sertão nordestino e o mundo cyberpunk possuem em comum? Bom, Vitor Wiedergrün fez o belíssimo favor de nos contar na forma do universo “Cyberagreste”.

O ilustrador brasileiro já publicou dezenas de artes em sua página do instagram, explorando um pouco mais dessa mistura de dois universos que, a princípio, parecem ser tão distantes mas acabam resultando em um produto muito animador. Aproveitando o lado “High Tech, Low Life” do gênero Cyberpunk, Vitor ilustrou dezenas de personagens muito interessantes que mesclam o melhor dessas duas culturas extremamente ricas.

Um colab bem animador com outros artistas excelentes pode ser visto aqui, e nele podemos ver alguns personagens trabalhando na reanimação de alguém que parece ter forte influências de Lampião e o exterminador do futuro. No mínimo parece ser um chefão interessante e igualmente perigoso.

O artista também já declarou que pretende desenvolver melhor esse novo universo e talvez até apresentá-lo em uma história em quadrinhos, explorando também outras culturas e regiões do Brasil. O Brasil é representado, quando representado, na mídia estrangeira de forma extremamente estereotipada e que não vai muito além do Rio de Janeiro, futebol e samba. Por isso é muito interessante observar essa abordagem de elementos característicos brasileiros no gênero Cyberpunk, que é amplamente explorado em países como Japão e Estados Unidos, mostrando que nós também conseguimos criar e manter um universo interessante com aspectos da nossa própria cultura.

Baiano, amigão da vizinhança, ecochato, escritor amador e mestre pokémon nas horas vagas.