Já imaginou você criando figuras complexas como alienígenas, carros de corrida, naves espaciais para um vídeo game? Complicado não é? Ah, esqueci de falar que estamos na década de 70 e precisamos utilizar o mínimo de espaço possível no computador.

Foi exatamente daí que surgiu o 8-bit. Existem diversos tipos de tipografias: Arial, Times New Roman, Helvetica entre outros, mas como conciliar esses tipos de letras, com a falta de memória dos computadores da época e com o fato da tela da TV ser composta por uma grade 32×28 blocos? Bom, cada um desses blocos representa um byte de dados, porém ao analisar mais de perto, vemos que cada bloco é dividido por sua própria grade de 8×8, ou seja, o 8-bit.

Cada um desses mini-quadradinhos pode ser ativado ou desativado, mas quanto mais quadrados ativos, maior a demanda de processamento exigida dos computadores. Além de todas essas restrições para criar um tipo, os tipógrafos da época ainda tentavam seguir a tradição caligráfica da tipografia.

Pode se dizer com todas as letras (juro que não foi intencional) que o tipo de letra 8-bit é a junção da precariedade dos computadores da época, com criatividade e eficiência. Apesar de olharmos pra isso hoje e pensarmos: “Meu deus, mas como que jogavam isso?!”. Os esforços dos que vieram antes dos gráficos absurdos que temos hoje não podem ser descartados, mas sim apreciados.

Contudo, a história não parou por aí, mesmo que o obstáculo de criar letras que possam ser suportadas pelos processadores, como espalhar isso pelo mundo? Afinal, muitos países orientais não usam o mesmo alfabeto que nós, mas nesse caso, vamos nos focar especialmente no Japão.

Quando o 8-bit chegou no Japão, eles não tinham tantas referências para fazer o design do alfabeto, e a situação complicou mais ainda quando quiseram superar os limites e desenvolver as letras minúsculas no formato 8-bit, mas com o tempo e o avanço da tecnologia, foi possível aumentar as alternativas e ideias de formatos, cores, ondulações em diferentes partes da letra e por aí vai.

O canal Vox fez um vídeo se aprofundando na história das fontes 8-bit, dá uma olhada aqui embaixo:

Eu acredito que tudo nessa vida tem uma certa beleza, ou pelo menos quase tudo. E a arte 8-bit não poderia ser diferente, eles começaram todo esse universo de games que temos hoje, se não fossem por todos esses perrengues que os desenvolvedores de games e tipógrafos passaram no passado, hoje eu provavelmente passaria meus finais de semana de quarentena no completo tédio, então, como eu já disse, da próxima vez que você ver algo em 8-bit, tire um pouco do seu tempo e aprecie… e não se esqueça de agradecer a tudo que ele fez!

Hunter Criminal, aspirante a Rei dos Piratas e viciado em criar histórias de RPG.