Na segunda-feira, 22/02/2021, a dupla Daft Punk anunciou seu fim, após 28 anos de carreira. A notícia foi dada ao público através do vídeo “Daft Punk – Epilogue” (Epílogo), de 8 minutos, que começa com a dupla caminhando, com suas famosas vestimentas robóticas, quando um deles pára e tira seu casaco, deixando exposto um botão de auto-destruição em suas costas. Depois que o parceiro o aciona, uma contagem regressiva começa, ele se afasta, e, em alguns segundos seu corpo explode, deixando com que a outra metade da dupla siga seu caminho, sozinha.

Mas, afinal, quem foi essa banda tão importante para a música eletrônica? Formada em 1993 em Paris, a dupla é composta por Guy-Manuel de Homem-Christo e Thomas Bangalter. A presença do grupo na indústria musical se fortificou em 2001, com o álbum Discovery, que foi muito aclamado pela crítica.

Muitos amaram, muitos odiaram, mas ninguém pode negar que ele deixou uma marca. O álbum, que conta com músicas atemporais como One More Time e Harder, Better, Faster, Stronger, que quase alcançou o topo das paradas no Reino Unido e nos Estados Unidos, lançou a dupla ao estrelato. Eles influenciaram, dentre outros, a banda Gorillaz, que adaptou suas músicas no single DARE, Skrillex, que aderiu estilos e performances parecidas, e Kanye West , que usou samples de Harder, Better, Faster, Stronger na sua música Stronger, introduzindo elementos eletrônicos no mundo do hip-hop e iniciando o boom do EDM (Electronic Dance Music, ou seja, música eletrônica dançante).

Depois do sucesso, Homem-Christo e Bangalter contaram que suas versões carnais haviam morrido em um acidente e assumiram as personas de robôs, que levariam para o resto da carreira. Desde o começo de sua carreira, a dupla não mostrava seus rostos: a princípio usavam máscaras baratas em entrevistas, até adotarem o visual futurista, marcado principalmente pelos capacetes e luvas robóticos junto a roupas exclusivamente pretas, criando uma identidade visual impossível de não reconhecer.

Em 2010 fizeram a trilha sonora para o filme Tron: O Legado, mas foi em 2013 que fizeram história mais uma vez, com o álbum Random Access Memories, no qual se reinventaram, trazendo temas nostálgicos e um som completamente diferenciado do que costumavam produzir. O álbum contou com a presença de diversos artistas renomados, como Julian Casablancas e Pharell Williams, gerando sucessos como Get Lucky e rendeu para o duo 5 grammys, sendo dois desses o Álbum Do Ano e Gravação Do Ano, duas das quatro categorias mais prestigiadas do evento. Além disso, atingiu o topo da Billboard, um feito raro entre artistas eletrônicos.

Paradoxalmente, o RAM não teve uma grande divulgação e uma enorme campanha de marketing; pelo contrário, a banda fez o lançamento mundial do disco numa feira agrícola de uma cidadezinha rural da Austrália, como se não ligassem para o glamour, e, sim, para a qualidade de sua música.

Nesse mesmo ano, Daft Punk produziu diversas músicas para o álbum Yeezus do Kanye West, um dos mais famosos de sua carreira, que chegou ao topo da Billboard. Já em 2016, produziram duas músicas do álbum Starboy, do The Weeknd, sendo essas Starboy e I Feel It Coming.

Agora, após 5 anos sem muita presença na mídia, a dupla divulgou sua separação, confirmada pela Billboard, sem apresentar motivo específico, chocando o público. Como disse o DJ Zane Lowe em um post em homenagem à banda: “Thank you Daft Punk, I guess we’re going to have to figure it out for ourselves from now on.” (“Obrigado, Daft Punk, acho que vamos ter que descobrir por nós mesmos a partir de agora.”)