A 41ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo começou ontem, e com 394 obras (contando com curtas e vídeos de VR) durante os 14 dias pode ser um tanto quanto difícil de escolher o que assistir. Mas é para isso que estamos aqui, a não ser que você queria conferir a programação inteira em um PDF de 74 páginas.

O destaque dessa edição com certeza está em sua variedade, contando com obras de diversos países, diversos gêneros e diretores – com um pouco para todo mundo apreciar. Se você associa amostras internacionais com filmes desconhecidos, pretensiosos e chatos (como eu faço na maioria dos casos) não se preocupe pois esse não é o caso. Apesar de com certeza termos muito disso na lista gigantesca de obras.

Na minha mini-seleção dentre os títulos também tem um pouco para todos os gostos. Mas talvez a graça desses eventos seja entrar completamente cego em um filme norueguês e ser surpreendido. Ou não também, afinal já fiz isso e acabei vendo um horroroso filme peruano.

Portanto, se você prefere não correr o risco de passar 2h assistindo peruanos fazendo nada, estes filmes provavelmente não serão desperdício de seu dinheiro.

O MOTORISTA DE TÁXI

Mais um excelente filme da Coreia do Sul? Talvez. Não se engane pelo título, essa obra não tem nada a ver com o filme de Scorsese e De Niro, além de obviamente ter um taxista como protagonista. No caso, estrelando o ótimo Song Kang-ho, conhecido por filmes como: Memories of Murder, Secret Sunshine, Joint Security Area, The Host, Snowpiercer, The Age of Shadows, Sympathy for Mr Vengeance e Sympathy for Lady Vengeance. Infelizmente, dessa vez ele não está acompanhado de seu parceiro-diretor Chan-wook Park (a dupla é praticamente a versão coreana de De Niro e Scorsese), com Hoon Jang por trás das câmeras.

A história se trata de uma única viagem de A para B, um taxista transportando um repórter alemão. Ela é baseada em fatos reais.

TRÊS ANÚNCIOS PARA UM CRIME

O terceiro filme do diretor Martin McDonagh, o irlandês por trás de In Bruges (Na Mira do Chefe) e Sete Psicopatas e um Shih-Tzu, é mais uma comédia criminal. Para variar, ela está sendo tão aclamada quanto as anteriores, vencendo o prêmio principal do festival de Toronto e ganhando melhor roteiro em Veneza.

LUCKY

Estrelando o recentemente falecido Harry Dean Stanton, o filme conta a história de um ateu de 90 anos em uma jornada de exploração própria no fim se sua vida. Lucky é dirigido pelo estreante John Carroll Lynch e também conta com David Lynch. Praticamente uma despedida ao ator de Twin Peaks, Poderoso Chefão Parte II, Paris, Texas e diversos outros, após ter falecido dia 15 de setembro com 91 anos. Só por isso já vale a pena.

THE SQUARE

Ganhou a Palma de Ouro em Cannes. A sinopse é “as pessoas se reúnem no ‘quadrado’ da cidade e fazem o que quiserem”. O mais recente filme do sueco Ruben Ostlund é tão vago em sua divulgação quanto seus anteriores.

AS BOAS MANEIRAS

O filme brasileiro que anda gerando mais buzz também estará presente na amostra paulista, após ter ganho recentemente o prêmio de melhor filme no festival do Rio. A obra é mais um “pós-terror” dos diretores Juliana Rojas e Maro Dutra, contando a história de uma babá que acaba tendo que cuidar de um bebê lobisomem.

LA CORDILLERA

Para os fãs de Ricardo Darín (único ator argentino possível) temos mais um filme estrelando ele. Pelo jeito os argentinos não tem as mesmas vastas opções que nós temos. Quer dizer, se o Wagner Moura não quiser pelo menos tem o Selton Mello. O filme foi indicado na categoria “Un Certain Regard” de Cannes.

HAPPY END

O novo filme do aclamado Michael Haneke é um dos mais aguardados do festival. Conhecido por suas obras de suspense como Violência Gratuita e Caché, o austríaco abandona qualquer tensão e foca em um drama familiar. Outro ponto que pode te convencer: a protagonista é Isabelle Huppert, indicada ao Oscar por Elle.

LOVING VINCENT

Só por ser o primeiro filme completamente animado por meio de pinturas de óleo ele já merece seu destaque. Quando se insere o fator Van Gogh ainda, sua presença nessa lista se torna óbvia. Talvez assistir pinturas se mexendo por uma hora e meia dê dor de cabeça, mas quem é fã de Van Gogh deve aguentar isso, eu acho pelo menos. Porque senão ninguém vai assistir esse filme.

Esses foram alguns (pouquíssimos) dos filmes que estarão em cartaz pelos cinemas de São Paulo nos próximos 13 dias. Então corre para não perder as sessões dos seus filmes mais antecipados. A programação pode ser encontrada no site oficial da mostra.

Viciado em Games, viciado em futebol, viciado em cinema, viciado em séries e viciado em drogas pesadas: leite, glúten e anime.