O aclamado filme coreano de Chan Wook Park “Oldboy” é famoso por uma de suas cenas de ação, quando Oh Dae Su enfrenta seus adversários em um corredor apertado equipado apenas com um martelo. Por meio de um plano sequência, acompanhamos a luta lateralmente, da esquerda para a direita.

Esse é um ótimo exemplo de uma boa luta no cinema, mas o que a torna tão diferente e boa? Primeiro, ela ocorre completamente em apenas um take, necessitando uma precisão muito grande na coreografia. Além disso, a abordagem é simples e minimalista, nada como as edições rápidas de Hollywood. O objetivo do protagonista é bem direto, atravessar o corredor, ir do ponto A para B.

A cena de Oldboy segue a mesma filosofia de muitos outros filmes: o equilíbrio do poder. Onde nenhuma força é tão superior a outra a ponto de não existir dúvida de quem vencerá. A representação desse equilíbrio não está somente na quantidade de inimigos que Oh Dae Su precisa derrotar, como também na sequência de eventos. O herói começa bem mas após cansar ele é derrubado pelos seus adversários e até toma uma facada nas costas, depois conseguindo se superar.

A fotografia segue de acordo com isso, já que quando ele está em seu melhor momento a câmera o centraliza e acompanha-o, para então ele sumir após ser atirado à direita, saindo do frame e então desaparecendo no meio da multidão. O movimento feito da esquerda para a direita também não é por acaso, já que a maioria de nós lê do mesmo modo, além de corridas e jogos 2D funcionarem da mesma maneira, compreendemos a esquerda como o começo e a direita como o fim. Portanto, enquanto Oh Dae Su progride ele está indo para a direita, mas chega momentos em que ele precisa retroceder, o que cria uma dúvida constante quanto se ele conseguirá sobrepor os obstáculos no seu caminho.

SplitScreen.0A série da Netflix “Demolidor” se inspirou pelo filme e criou uma cena semelhante.

Outro aspecto que torna a cena única e realista é a mudança de ritmo, devido ao cansaço dos envolvidos. Após a adrenalina de todos passar, a vontade de lutar diminui, o que torna o centro da tela desocupado, com o protagonista à direita apenas esperando os ataques. Eis então que entra em questão o medo de seus adversários, após testemunharem o massacre cometido por Oh Dae Su eles passam a cometer erros e até desistem.

Existe também uma quebra de padrões dos filmes de ação em Oldboy, tendo em vista que os inimigos partem de todos os lados, não apenas de onde o protagonista está olhando. Geralmente o fim de lutas é marcado por um grande golpe final, enquanto nesse caso o que ocorre é o contrário, todos estão exaustos. O protagonista chega até a se arrastar pelo chão, inclinar-se na parede para recuperar o fôlego e tropeçar em uma tábua.

A versão de Hollywood retorna com o típico “herói imbatível” que passa por poucas dificuldades durante a luta, nunca deixando o espectador em dúvida. Josh Brolin também toma uma facada nas costas, mas apenas no fim da luta. Ironicamente, a versão ocidental vai da esquerda para a direita. Provavelmente para representar como o remake retrocede em relação ao original.

Viciado em Games, viciado em futebol, viciado em cinema, viciado em séries e viciado em drogas pesadas: leite, glúten e anime.