Fato: Memento é um clássico.

ATENÇÃO PARA SPOILERS

Alguns de vocês (talvez muitos) devem saber que Memento é meu filme favorito. Um dos motivos por trás da minha adoração por essa obra é justamente pela forma em que ela é contada, de modo reverso e linear ao mesmo tempo. Na verdade, essa característica é o que faz de Memento um clássico, e é por isso que discutem o filme até hoje; por causa de sua estrutura.

Não que a história do filme já não seja atraente (e boa) o suficiente para que ele se tornasse um clássico, a premissa é excelente, assim como o desenvolvimento dos personagens e seu enredo. Além de que, é dela de que surge a estrutura. A ideia de Christopher Nolan não foi contar uma história que começa no fim e termina no começo, mas sim a de contar a história de um homem com perda de memória a curto prazo que busca vingança. A estrutura foi o meio que ele definiu para melhor colocar os espectadores nos pés de Leonard, já que dessa forma nós também não sabemos o que está acontecendo – assim como o protagonista.

A maioria dos filmes mantém a tensão e criam intriga por meio de perguntas, e Memento não é diferente. Mas suas perguntas são. Em histórias lineares, nos perguntamos “o que será que vai acontecer?”, enquanto em Memento nos perguntamos “o que será que aconteceu?”.

O Youtuber Lessons from the Screenplay analisou a estrutura do filme de Nolan, demonstrando como ela vai muito além de um simples truque, além de exemplificar as perguntas que nos mantém na ponta de nossos assentos durante o filme. O vídeo contém spoilers.

Algo que o Youtuber não mencionou foi o uso de narração no filme, um de seus principais aspectos. Além da estrutura, o que mais coloca nos pés de Lenny é saber seus pensamentos, é acompanhar seu telefonema contando a história de Sammy Jankis.

No caso também devo discordar com a conclusão do Youtuber de que o final do filme (que ocorre na verdade no meio da história) finalmente responde todas as perguntas que foram criadas durante o longa. Existem respostas ali, mas não significam que elas são a verdade. Assim como Lenny não pode confiar em ninguém por causa de sua condição, como podemos confiar em um narrador que não faz ideia de nada? Como podemos confiar em um policial que manipulava Lenny? Quem disse que nós, a audiência, também não fomos manipulados?

Memento vai muito além de uma estrutura, uma história ou um mistério. Memento fica em nossas memórias até hoje porque ele proporciona uma experiência diferente para cada um que o assiste. O filme nos faz questionar durante suas 2 horas, além de muito tempo depois de seu fim. Nos faz questionar sobre sua história, sobre Lenny, mas também sobre nós mesmos – a forma como o filme aborda individualidade e memória como parte de identidade é impecável.

Esse é o verdadeiro motivo por qual lembramos o filme, porque ele nos faz questionar até hoje qual é a verdade. Não porque recebemos todas as respostas no fim, mas sim porque assim como as memórias podem ser distorcidas, nossas interpretações podem modificar a cada vez que o assistimos. Porque ninguém sabe a verdade, nem Leonard, nem eu que já o acompanhei mais de 20 vezes, nem as milhares de pessoas que escrevem em fóruns suas teorias. Talvez ninguém nunca saiba, mas isso não importa. O que importa são os fatos.

Fato: Memento é um clássico.

Viciado em Games, viciado em futebol, viciado em cinema, viciado em séries e viciado em drogas pesadas: leite, glúten e anime.