Hoje em dia, animações e cartoons são extremamente comuns e populares na internet, especialmente no Youtube. É o caso de Salad Fingers, asdfmovie, Cyanide and Happiness, Egoraptor, How It Should Have Ended ou até mesmo o brasileiro Mundo Canibal. Mas nem sempre foi assim, antes do Youtube, era difícil esse tipo de conteúdo se popularizar (o Newgrounds com certeza ajudou mais tarde) e a animação por Flash ainda estava começando. Mesmo assim é possível encontrar a origem desses cartoons, antes do Youtube e do Newgrounds houve o primeiro sucesso da animação online.

Trata-se de Homestar Runner, criado por 2 irmãos em primeiro de Janeiro de 2000. A popularização foi realmente uma grande surpresa, afinal nessa época as coisas não viralizavam em outros sites que hoje servem como hubs de conteúdo – alguém tinha que achar o site do Homestar e passar no famoso boca-a-boca.

O mais legal é que não só a série serviu para abrir portas para novas animações, como também formou o humor irreverente da internet como um todo, criando o caráter livre e individualista que temos hoje. Onde qualquer um pode criar o que quiser e como quiser. Hoje talvez não seja mais tanto assim, com a interferência de empresas e a transformação do Youtube para um “negócio”, mas naquela época era tudo apenas por pura diversão. E mesmo que você nunca tenha visto a série em si, você já viu outros que foram influenciados ou até o homenageiam.

O sucesso foi tamanho que até virou um jogo da Telltale Games, o Strong Bad’s Cool Game for Attractive People e ajudou os criadores a entrarem na indústria dos cartoons. Hoje ambos trabalham na Disney, fazendo vozes ou escrevendo – inclusive para Gravity Falls, por exemplo.

Homestar Runner nunca foi criado por dinheiro, ele foi uma obra de 2 irmãos criativos (Mike e Matt Chapman) que queriam divertir as pessoas. E sem qualquer comercialização, ele conseguiu isso, se popularizou e lançou a carreira dos 2. Inspirou vários e mostrou a mágica que a Internet pode ter.

Viciado em Games, viciado em futebol, viciado em cinema, viciado em séries e viciado em drogas pesadas: leite, glúten e anime.