A extensão do Google Maps não está limitada ao acesso virtual de imagens do globo e também promove uma experiência culturalmente enriquecedora.

Não é segredo, mas é muito esquecido (literalmente) que várias línguas “morreram” ao longo da história por inúmeros motivos. Entretanto, agora não é hora de relembrar do latim, grego antigo ou o egípcio. Infelizmente várias línguas indígenas, até por terem um número de praticantes muito limitado (principalmente em relação aos falantes de mandarim, inglês e espanhol) acabam sendo extintas todos os anos pela redução do seu número de falantes, o que acaba promovendo um dano irreparável na história da cultura humana por excluir – ainda mais – a participação desses povos. E é aí que 2019 acabou sendo eleito pela ONU como o Ano Internacional das Línguas Indígenas.

É possível ouvir 50 dialetos diferentes de povos de vários lugares do mundo, como Brasil, Havaí, Rússia. Mas não é preciso se preocupar: o tour completo acompanha legendas traduzindo o que está sendo dito e ainda oferece descrições informativas sobre o povo que você está vendo. Tudo está disponível no site.

Essa tour do Google Earth é culturalmente enriquecedora e agrega muito no sentido de nos permitir um conhecimento mais aprofundado sobre povos originais que são historicamente estigmatizados, explorados e retratados na mídia como grupos aculturados e selvagens. Levando em conta uma pauta global urgente sobre o meio ambiente, nada mais justo então que o Google Earth dar voz para pessoas que respeitam a Terra e têm muito a nos ensinar.

Baiano, amigão da vizinhança, ecochato, escritor amador e mestre pokémon nas horas vagas.