Desde que existem os games, especialmente os de plataforma, existem as fases de água. Super Mario tem suas fases na água, Mega Man, Donkey Kong, A Lenda de Zelda, Sonic, Crash e até jogos mais recentes como Inside, Uncharted ou Tomb Raider. Mas vamos dizer que nem sempre elas são as partes favoritas dos jogadores. O gameplay pode ser meio truncado e as mecânicas repetitivas, mas tem algo em que elas sempre se destacaram: música.

Musicalmente as fases de água geralmente são o contrário de seu gameplay. A trilha dessas fases são de altíssimo nível, além de super versáteis. Os compositores parecem se inspirar pelo cenário para criarem temas que refletem perfeitamente a sensação que o jogo tenta passar, seja ela de medo, aventura, tranquilidade ou empolgação. Porque a própria água em si pode ser tudo isso. A fase pode ser um naufrágio, um mergulho, uma tempestade, uma batalha, uma viagem e por aí vai.

O Canal Game Score Fanfare, especializado em trilhas de games, contou um pouco da história das músicas aquáticas e sua influência no meio como um todo. Datando desde a primeira música de Super Mario até jogos mais recentes. Afinal, a primeira música composta para o clássico da Nintendo foi a da fase aquática.

O Youtuber comenta como o gameplay também refletiu na trilha, já que nessa fase Mario não é rápido ou ágil, por isso o compositor Koji Kondo optou pelo mesmo tempo de uma valsa. Ou como as mecânicas da fase criaram tendências em suas trilhas, como a frequente presença de arpejos para criar uma sensação flutuante.

O vídeo demonstra a evolução das músicas nessas fases, apresentando os compositores e as músicas que impactaram o meio. Uma delas, talvez o principal ponto de virada, foi a trilha de Donkey Kong. Antes, todos compositores de games focavam na melodia, nos arpejos de Koji Kondo, para retratar o movimento dos personagens. Mas David Wise resolveu mudar tudo, inspirando-se nas trilhas de filmes e pop dos anos 80. Focando mais no ambiente da fase do que no movimento do personagem, usando técnicas de produção modernas para abafar e expandir a música e torná-la mais aquática. É isso que escutamos hoje, ambiente ao invés de melodia. O resultado do trabalho de Wise foi essa obra-prima:

Mesmo que as fases da água não sejam as mais revolucionárias para o mundo dos games, a contribuição delas foi completamente outra, e tão importante quanto. Foram as músicas dessas fases que legitimizaram as trilhas de joguinhos como “música séria”, saindo do espectro dos games para o mundo da música.

Viciado em Games, viciado em futebol, viciado em cinema, viciado em séries e viciado em drogas pesadas: leite, glúten e anime.