Peças publicitárias quase nunca são comparadas com arte, no entanto vencedores da AICP podem até ter o privilégio de discutir isso, já que suas peças ganham um espaço dentro do acervo do MoMa, junto com diversas das maiores obras de arte de todos os tempos. Partindo dessa ideia, o comitê do prêmio publicitário criou uma campanha comparando criativos da publicidade com grandes artistas, devido a quantidade de obras que cada um tem no MoMa.

Obviamente, tudo isso não passa de uma brincadeira, portanto o humor presente nos três vídeos para atrair mais participantes é bem irônico. Comparando Susan Credle com Van Gogh, analisando o uso de amarelo em suas peças ou a quantidade de “auto-retratos” de cada.

Enquanto em Jeff Koons vs Jeff Kling, temos o próprio publicitário afirmando que a comparação é justa por diversos motivos, principalmente pelos números – já que números não mentem.

E no último vídeo, retornamos com um narrador explicando porque Cezanne e Graf são tão parecidos. No maior estilo daquelas velhas teorias de conspiração absurdas, as comparações são esdrúxulas, desde “semelhanças” nas obras até “marcas registradas”.

O conceito por trás da campanha veio do diretor criativo global da R/GA, Nick Law, que também será o principal jurado do prêmio.

Viciado em Games, viciado em futebol, viciado em cinema, viciado em séries e viciado em drogas pesadas: leite, glúten e anime.