Sinapse por Ramiro Gonçalez, 03/05/2010 às 21h00
As pesquisas sobre o TWITTER não param .
Muito desta ansiedade se deve enorme audiência que ele atingiu (em tão pouco tempo). 
Dados preliminares da pesquisa (realizada para o livro “MÍDIAS E NEGÓCIOS”) mostram que o perfil do usuário (médio) do TWITTER parece ser o melhor qualificado entre todas as redes sociais. 
Mesma conclusão de um estudo de um instituto de pesquisa americano – Edison Research.

Este estudo vai além e mostra que a ferramenta é mais complexa do que nossa visão simplista tenta enxergar. 
Um dos “achados” desta pesquisa é que o TWITTER pode não ser vantajoso para algumas empresas . Já havíamos detectado que é muito mais fácil achar detratores do que advogados das marcas no TWITTER .
Parece ser uma estratégia DEFENSIVA acompanhar e interagir na mídia social.
Os estrategistas de Marketing estão percebendo que entrar na REDE SOCIAL DIGITAL é como “discutir a relação com a esposa (o)”: todo mundo sabe como começa, ninguém sabe como termina…
Principalmente pela necessidade EM OUVIR a outra parte. 
Anunciantes e veículos NÃO ESTÃO ACOSTUMADOS COM ISSO…

Surpreendente é o achado referente ao uso de Pessoas Jurídicas : o estudo descobriu que as empresas B2C e B2B estão usando com sucesso as redes de mídia social para aquisição de clientes. 

No caso de consumidores finais os dados também sugerem que usuários do Twitter não necessariamente convertem o conhecimento da marca em uso, e fazem uma provocação: REDES SOCIAIS NÃO SÃO PARA TODAS AS MARCAS.

Quem não deveria usar o TWITTER?

A) Empresas que não têm uma estratégia para ON LINE. Quem tem dificuldade em ouvir e interagir;;
B) Marcas que não têm interesse em comunicação com mobilidade ou de presença. 

Vejam que os “achados” de pesquisa ainda são tímidos, inespecíficos e genéricos.
Muito devido a total falta de CONHECIMENTO CIENTÍFICO sobre o tema.
Mais lenha para o debate do dia 20 de maio.

Prof. Ramiro Gonçalez – FIA
Inteligência de mercado e mídia
@ramirogoncalez @NewronioESPM
ramirogon@uol.com.br