A Vox publicou um vídeo em seu canal oficial do Youtube investigando a origem de uma música recorrente em cenas trágicas de filmes clássicos como Star Wars, Rei Leão, Senhor dos Anéis e Batman, entre muitos outros.

A música em questão é baseada em um antigo canto gregoriano criado por monges católicos do século XIII, chamado “Dies irae” e que era utilizado em funerais públicos. Dies irae pode ser traduzido do latim em algo como “O dia da ira”, o momento que os cristãos acreditam que Deus fará o julgamento dos vivos e os mortos e se eles irão para o céu ou inferno.

Mas por que Dies irae é tão perpetuada na arte? O que torna essa música de quatro notas tão desconfortável e angustiante? Segundo Alex Ludwig, um musicologista e professor do Berklee College of Music, o cântico Dies irae possui o modo dórico, um dos modos gregos estudados na teoria da música (favor não confundir com a ordem dórica da arquitetura).

Porém, ele também diz que é possível afirmar que as quatro notas estão no modo menor, um estilo de música que possui justamente essa propriedade mais triste e obscura, que incomoda tanto a audição humana.

Felizmente Prof. Ludwig também nos fez o queridíssimo favor de listar todos os filmes e séries que utilizam o padrão de quatro notas que compõe a melodia mórbida. E são muitos!

Definitivamente a parte mais impressionante da música Dies irae é observar como ela sobreviveu aos séculos e está presente em tantas músicas, recheando o nosso imaginário e a cultura pop com um pedaço da história da música e a arte.

Baiano, amigão da vizinhança, ecochato, escritor amador e mestre pokémon nas horas vagas.