Apesar de seu nome, a Black List na verdade não é uma lista negativa, mas sim uma compilação anual dos roteiros mais adorados por Hollywood. Mas no caso, os mais adorados dos rejeitados. Na indústria do cinema todo ano milhares de roteiros são escritos, portanto muitos acabam não virando filmes, e é nessa lista que alguns deles vão parar. Ela se trata da opinião de vários executivos da indústria, que enviam seus roteiros favoritos do ano (que não viraram filmes) – os mais mencionados vão para a lista.

O aspecto mais interessante dessa lista é que alguns filmes acabam se concretizando a partir dela, já que ela permite diretores e estúdios a encontrarem histórias que lhes interessem. Além de criar hype por conta da escrita, de histórias apenas. Não existe nenhum nome grande por trás, nenhuma campanha grande – apenas uma história interessante. A Vox conta um pouco mais da história por trás dela, como por acaso, um executivo acabou criando um fenômeno ao tentar exercer seu trabalho de uma forma melhor.

Curiosamente muitos filmes que hoje são aclamados apareceram em algumas listas negras, alguns dirigidos pelos próprios roteiristas e outros que acabaram trazendo diretores grandes. Mostrando como a lista pode criar a atenção necessária para um filme sair do papel. Eis alguns exemplos:

  • Juno
  • Lobo de Wall Street
  • Na Mira do Chefe
  • Os Suspeitos
  • Looper
  • Whiplash
  • Spotlight

 

Logicamente, não foram só maravilhas que saíram dessas listas. Muitos roteiros que estavam entre os favoritos dos executivos se tornaram filmes ruins ou medíocres, mas o que importa é: pelo menos eles foram feitos.

Hoje, a lista se tornou uma plataforma tanto para profissionais da indústria, quanto para aspirantes a roteiristas. Você pode conferir as listas anuais, além de poder enviar seus próprios roteiros, no site.

Viciado em Games, viciado em futebol, viciado em cinema, viciado em séries e viciado em drogas pesadas: leite, glúten e anime.