Blade Runner é um filme lançado em 1982 que aborda uma sociedade distópica situada em novembro de 2019 e… Bom, 35 anos depois esse futuro agora é o nosso presente, então vamos analisar o que a ficção previu e acertou na nossa realidade.

1) Carros voadores x Carros autônomos

Toda vez que pensamos em uma previsão de futuro é impossível não mencionar os aguardadíssimos carros voadores, e com Blade Runner não foi diferente. O protagonista Rick Deckard, interpretado por Harrison Ford, pilota um carro voador da polícia. Bom, infelizmente ainda não temos carros voadores por aí em 2019, mas já temos carros que dirigem sozinhos. A cada ano que passa, os carros autônomos da Tesla, BMW e até mesmo Google ficam mais acessíveis e com tecnologias mais eficientes e seguras.


Cena de Blade Runner (1982)


Carro autônomo da Tesla fazendo uma baliza melhor que você

 

2) Replicantes x Inteligência Artificial

Parte central da trama de Blade Runner está voltada para os replicantes, seres humanos sintéticos com ciclos de existência limitados artificialmente e que estão em busca da extensão da vida e a reprodução, mas são caçados pelo protagonista. Não podemos acompanhar essa busca visceral e filosófica pela vida no presente, mas atualmente já vivemos em um mundo compartilhado com inteligências artificiais (como é o caso da famosa robô Sophia), que já aprendem coisas novas como um ser vivo e desempenham funções antes ocupadas pelos seres humanos.


Rutger Hauer (1944-2019) como o replicante Roy Batty.


Robô Sophia recebendo cidadania da Arábia Saudita

 

3) Grandes propagandas x O algoritmo

Outro elemento muito presente no universo cyberpunk é a quantidade excessiva de publicidade, como se cada pedaço das cidades fosse uma enorme Times Square, entupida de propaganda futurista que fala diretamente com o consumidor. E bom, como um estudante de publicidade posso afirmar que Ridley Scott, o diretor do filme e companheiro de curso, não poderia sequer sonhar que o algoritmo estava por vir. O sistema de personalização analisa os dados dos usuários e entrega de bandeja o anúncio mais compatível com os interesses do consumidor possível. A comunicação entre as marcas e as pessoas nunca foi tão eficiente.


Cena de Blade Runner (1982)


Cena de Blade Runner 2049 (2017)

 

4) Diversidade cultural Cyberpunk x Globalização e internet.

A diversidade cultural é um dos elementos mais presentes nas obras cyberpunk, que apresenta um mundo cujo as barreiras culturais foram ultrapassadas assim como as limitações biológicas. É comum ver pessoas misturando línguas como inglês, espanhol, mandarim, russo e japonês, além de outras influências artísticas mestiças que se manifestam por meio da moda, por exemplo. Esse tipo de convergência cultural também é muito presente em nossa sociedade devido ao advento da internet, que possibilitou a comunicação e troca de influências entre pessoas de diversos países, etnias e culturas de maneira muito mais fácil e simples. A globalização moderna permitiu a integração de uma comunidade global, que por consequência faz com que as pessoas possam entender memes estrangeiros com uma facilidade muito maior.


Cena de Blade Runner (1982)

 

5) Animais elétricos x Extinção animal

Um elemento fundamental da história do livro ‘Andróides Sonham com Ovelhas Elétricas?’ (que introduziu o universo de Blade Runner) são os animais elétricos, que substituem os animais naturais já extintos na distopia, como tigres, ovelhas e até mesmo cães e gatos. No filme, esse elemento do universo também é explorado na icônica cena da coruja artificial, que vigia o protagonista Deckard. Um paralelo possível e infelizmente muito presente na vida real é de que a biodiversidade ao redor do mundo tem sido muito afetada pela interferência humana. Desde o seu surgimento, a nossa espécie vem protagonizando uma das maiores extinções em massa da história do planeta, com milhares de espécies animais e vegetais sendo extintas a cada ano, resultando em um cenário cada vez mais catastrófico e irreversível.


Cena de Blade Runner (1982)


Orangotango enfrenta escavadeira que invade seu habitat

 

6) Climas extremos x Mudanças climáticas atuais

As mudanças climáticas oriundas do aquecimento global são uma das maiores preocupações dos ambientalistas atualmente, e na verdade deveria ser de toda a humanidade, que está suspensa na incerteza das consequências das transformações que realizamos sobre o planeta. Será que a Terra ainda será capaz de acomodar vida no futuro ou se tornará um planeta inóspito? O universo de Blade Runner explora um pouco esses questionamentos também ao apresentar um mundo com mudanças climáticas extremas; é possível observar tanto uma chuva chata e infindável que cobre Los Angeles, como uma aridez extrema que desertificou toda Las Vegas.


Cena de Blade Runner (1982)


Cena de Blade Runner 2049 (2017)

 

Resumindo, parece que estamos vivendo em uma sociedade extremamente depressiva e desestimulante, mas só pra melhorar um pouquinho os ânimos é importante lembrar que muitos dos avanços tecnológicos que estão acontecendo beneficiam a população. Importante levar um pouco dessa positividade em consideração, até porque todos esses momentos se perderão no tempo como lágrimas na chuva.

Descanse em paz, Rutger Rauer.

Baiano, amigão da vizinhança, ecochato, escritor amador e mestre pokémon nas horas vagas.