Animação já existe desde 1900, surgindo pela primeira vez em filme no curta “Enchanted Drawing”. Por outro lado, o Stop Motion ou Claymation, foi ganhar destaque apenas 33 anos depois, quando Ray Harryhausen trouxe King Kong a vida. A técnica consiste em utilizar bonecos e tirar fotos em sequência, criando movimento. O trabalho é duro, extremamente detalhista e muito demorado. Por esse motivo, as sequências de Stop Motion eram apenas partes curtas de filmes tradicionais.

Foram nos anos 90 que surgiram os primeiros filmes inteiramente animados por bonecos, ou massinha. O curta de claymation “Wallace and Gromit: A Grand Day Out” e o longa “The Secret Adventures of Tom Thumb” chamaram a atenção. Mas foi com “O Estranho Mundo de Jack” de Tim Burton, com um orçamento de 18 milhões de dólares, que o verdadeiro potencial do Stop Motion foi demonstrado. Depois disso surgiu uma onda de filmes do gênero, incluindo “James e o Pêssego Gigante” de Henry Sellick. Esse que foi contratado pela LAIKA, considerado por alguns o maior estúdio de Stop Motion hoje, cujo CEO é Travis Knight, filho do fundador da Nike.

Hoje, a técnica continua evoluindo, atingindo proporções absurdas. Uma nova criação que visa facilitar a animação são bonecos com movimentos extremamente realistas, como o criado por Barnaby Dixon que busca patentear sua criação.

Nos cinemas de fora, o mais novo longa da LAIKA já está em cartaz, “Kubo e a Espada Mágica” estreia no Brasil dia 13 de outubro. O vídeo abaixo apresenta a tecnologia por trás do filme, o projeto mais ambicioso do estúdio até hoje.

Para conhecer mais e apreciar a história e o desenvolvimento do Stop Motion, você pode assistir o vídeo abaixo. Um tributo demonstrando 100 anos da técnica, feito pelo usuário “Vugar Efendi”, resume muito bem a mágica desse tipo de animação.

Viciado em Games, viciado em futebol, viciado em cinema, viciado em séries e viciado em drogas pesadas: leite, glúten e anime.